DestaquesGeral

Cores da Terra celebra a arte e a força da identidade do homem junto a natureza

Selma Calheira transforma cacau em obras de arte

Uma colecionadora de experiências. Forjada pela versatilidade do próprio barro que macera diariamente, a arte da qual faz uso para modelar toda espécie de figura, também deu forma à artista plástica Selma Abdon Calheira. Assim ela percebe sua arte  como instrumento de desenvolvimento da criatividade e da intuição, .que abriga beleza na simplicidade. Felicidade disfarçada nos detalhes.

Selma Calheira

Honesta nos materiais, suas esculturas de cerâmica são únicas. Feitas à mão, fascinam nos detalhes minuciosos de transformação do barro. Criações orgânicas, que carregam a expressividade dos elementos da natureza e primam pela excelência na qualidade e exatidão das peças. As técnicas dos processos de criação, modelagem e queima se originam de resgates culturais, como as sabedorias indígenas, e evidenciam a valorização da natureza.

A variedade de terras no solo baiano despertou o contato com as cores e possibilidades oferecidas pela natureza. Selma se deu conta de que a argila teria seu uso não apenas no fazer da cerâmica, mas em uma infinidade de pigmentos. Extraídos de paredões, barrancos, beiras de estrada e outros locais, deram os  tons e matizes do seu trabalho dando vida e liberdade às coleções.

Resultado de muitas pesquisas, as nuances de cada cor e variações alcançadas são produzidas sem intervenção humana. Na queima, o fogo naturalmente deixa sua marca e transforma esculturas em peças singulares. Das tonalidades do chão de terra batida ao branco, atemporal, passando pelas escalas de neutros e por cores vibrantes, as matizes percorrem suas coleções e batizam sua marca, Cores da Terra.

Do encontro de Selma com o artista plástico Franz Rzehak e os longos anos partilhados de estudo e pesquisa, o Centro de Arte Cores da Terra tomou forma em 1989 na cidade de Ibirataia, Sul da Bahia. Um retorno à sua cidade natal. Lá concretizaram sonhos e a oportunidade de usar a arte da cerâmica e do ferro como trabalho e fonte de sustento. Com a galeria reestruturada em 2014 passaram a receber visitantes de todo o País.

Selma, mestiça de índio com espanhol e árabe, criada em contato com a natureza. Franz, um alemão da região da Baviera com espírito brasileiro, dotado de uma habilidade ímpar na arte de contorcer o ferro. Designers de origens distintas comungando do mesmo desejo – esculpir, a partir do rústico, obras de arte.

Juntos, promoveram a identidade da região investindo em treinamento da mão de obra local transformando os moradores em artesãos, gerando emprego e perspectivas. Investem em sua mais importante ferramenta de trabalho, o artesão e valorizam e estimulam o desenvolvimento local buscando promover a arte no Brasil e exterior com criações presentes em São Paulo, Rio de Janeiro, Itália, Bélgica, Alemanha e EUA.

Com um percurso criativo iniciado pelas frutas e pelo cacau, Selma imprimiu sua marca através do barro, criando formas e expressões que deram vida à sua arte. Esculturas figurativas com a exclusividade da sua assinatura e uma identidade criativa repleta de expressividade e força que promovem reflexão e novos modos de percepção da ligação do homem com a terra.

Produtos: Vasos, esculturas, garrafas, animais e outros objetos

Materiais: cerâmica

Técnica:    modelagem em torno

Contato: (73)  99137-4264

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
Fechar