DestaquesGeral

UESC realiza Aula de Campo no Assentamento Dois Riachões

Projeto é referência na produção de cacau de qualidade

A Universidade Estadual de Santa Cruz- UESC, em parceria com a OCA – Centro de Agroecologia e Educação da Mata Atlântica, realizou uma aula de campo no assentamento Dois Riachões, ligado ao movimento CETA, situado no município de Ibirapitanga, Sul da Bahia.


A aula de campo faz parte das vivências propostas para disciplina de Educação Ambiental do curso de Geografia, que tem neste  semestre, a professora Taiana Araujo como responsável. Participaram cerca de 50 estudantes da  licenciatura e do bacharelado.

O objetivo da atividade foi apresentar aos futuros geógrafos, como alguns empreendimentos e iniciativas de nossa região abordam e valoram a temática ambiental e, nessa visita em específico, a proposta foi conhecer o trabalho da Rede de Agroecologia Povos da Mata, da qual o Assentamento Dois Riachões faz parte, destacando a importância da visão e da ação dos coletivos de produtores familiares nesse movimento de efetivação/incorporação da educação ambiental a nossa forma de vida.

Os estudantes foram recepcionados por Luciano Ferreira da Silva, assentado de reforma agrária, representante do assentamento e Coordenador Técnico de projetos da SATUDERMA – Secretaria de Turismo Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente de Ibirapitanga. Luciano apresentou todo histórico do assentamento, desde o período do acampamento até os dias de hoje, com o processo da certificação orgânica participativa consolidado.

 

Luciano também compartilhou com os alunos todo o processo de produção do cacau de qualidade, perpassando pelo sistema produtivo, a colheita e a fermentação, a secagem, armazenagem e o beneficiamento na unidade de processamento de chocolate orgânico existente no assentamento.

A professora Taiana  Araujo destaca que “ressignificar nossa relação com o ambiente e com o outro Homo sapiens ou não faz parte da proposta macro da Educação Ambiental. Esse processo pode acontecer pelo árduo processo de mudança gradual de hábitos ou via formação de hábitos, digamos, “ambientalmente mais equilibrados” desde a formação do indivíduo na primeira infância.

“É importantte trazer essa discussão e provocação para os estudantes recém ingressantes do curso de Geografia (licenciatura e bacharelado) da UESC, para que essa inquietação os acompanhe e os oriente ao longo da sua formação e atuação profissional futura”, destaca.

De acordo com Taiana, “a  vivência e as trocas experienciadas na visita de campo ao Assentamento Dois Riachões, evidenciaram a efetividade com que o processo de Educação Ambiental se dá naqueles coletivos ligados ao campo, que optaram pela relação agroecológica com o ambiente ao qual pertencem e do qual dependem”.

Na avaliação dos estudantes essa experiência mostra que a força do trabalho coletivo aliado à educação é um caminho assertivo para o sucesso de nossa região.

(Fotos : Cláudio Lyrio)

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
Fechar